Início > Uncategorized > A saga do bem – o vampiro vegano, criação de Lou de Olivier, ataca novamente!

A saga do bem – o vampiro vegano, criação de Lou de Olivier, ataca novamente!

Há séculos o tema “vampiro” desperta a imaginação de escritores e leitores. Há uma grande variedade de personagens criados “vampiros”, quase todos tem em comum o horror ao sol, a sede de sangue e até crimes em série. De todos os livros sobre vampiros, o mais famoso, que até os dias de hoje atrai publico é “Drácula”. Criado pelo Escritor irlandês Bram Stoker. Este começou a escrever o texto em 1890 mas só o publicou em 26 de maio de 1897, ou seja, ficou sete anos buscando argumentos e/ou inspiração. O enredo mostra um jovem, Jonathan Harker que, ao chegar a um castelo na Transilvania, conhece o excêntrico proprietário, o conde Drácula. Logo, Harker percebe que o anfitrião é mais do que excêntrico, há algo nele que beira o assustador e o tenebroso. É quando Harker começa a entender que não é um hóspede e sim um prisioneiro do conde Drácula. A partir dai instala-se uma trilha de sangue por onde o conde Drácula passa…

 

Em 1927, este livro teve uma adaptação teatral escrita por Hamilton Deane e John L Balderston e tornou-se um grande sucesso na Broadway. E o tema ainda foi bastante explorado no cinema. Em 1931 estreou o filme Drácula, baseado na peça teatral. Em 1992, o filme Bram Stoker’s Drácula foi lançado, trazendo no enredo uma vingança pela morte de sua amada em uma trilha de sangue que Drácula jura beber para sempre. E entre muitas produções, lançou-se em 2012 a série em animação “Hotel Transylvania” trazendo Drácula em versão “animação infantil”.

 

Em paralelo, vampiros mais modernos chegaram às prateleiras das livrarias com o título Twilight (Crepúsculo) em 2005. O enredo gira em torno da vida de uma estudante que muda de sua casa e, ao apaixonar-se por um vampiro, coloca sua própria vida e de sua família em risco. O livro de autoria de Stephenie Meyer virou best-seller e deu origem a uma série de filmes que fizeram (ou ainda fazem) a cabeça de muitos adolescentes e jovens no mundo todo.
Entre o Drácula escrito há mais de cem anos e o contemporâneo Edward Cullen (Crepúsculo) muitos outros vampiros desfilam pelas livrarias e telas de TV e/ou cinema. Inclusive os famosos Tom Cruise e Brad Pitt em Interview with the Vampire: The Vampire Chronicles filme baseado no livro homônimo da autora Anne Rice. Há até algumas sátiras de vampiros que se tornam vegetarianos como se cogitou para o segundo episódio de Hotel Transylvania…

 

solua-ouvindo-1

Se a Escritora, Dramaturga e Multiterapeuta, Lou de Olivier, tivesse lido tudo o que já se publicou e divulgou sobre vampiros, talvez ficasse desanimada e nem pensasse em lançar mais um vampiro no “saturado mercado” mas ela não pesquisou, não se preocupou com a “concorrência”, não analisou o mercado e confessa que não leu nem assistiu nenhum dos livros/filmes dos famosos vampiros. Ela apenas soltou a imaginação, refletiu bastante e, entre 2010 e 2013 pôs-se a escrever, lançando Solua, o vampirinho vegano em 2014.
E que bom que ela acreditou no seu ideal e criou este vampirinho diferente e com um propósito tão nobre. Sim, a intenção é das mais nobres; mostrar ao público de todas as idades a necessidade de uma nova postura diante da vida e da natureza.
Segundo a autora, Lou de Olivier, o principal objetivo de sua criação é: “Trazer à luz alguém que pudesse ensinar de forma divertida e consciente uma mensagem que vai muito além do amor à natureza e aos animais, é o amor universal que inclui também amar o próprio corpo e preocupar-se com o que [se] ingere em termos de alimentação e usa em higiene e beleza.”
Solua, o vampirinho vegano surgiu diante da dificuldade que a autora enfrentava em viagens. Nunca encontrava comidas veganas (como ela gosta) e, em algumas vezes, tinha até que explicar o que é vegano para os donos de hotéis e restaurantes. Imagine, estar com muita fome, querendo apenas comer uma saborosa e nutritiva comida vegana e, ao invés disso, ter que participar de um debate (repleto de explicações sobre veganismo) e deboches, pois muitas das vezes, ela se via sendo afrontada ou ridicularizada por sua opção vegana de vida. “Em determinado evento – relata a autora – chegaram a me perguntar se eu só comia capim”…  vampirinhodivulgacao

Foi ai que surgiu a ideia de um vampirinho (que teoricamente alimentaria-se de sangue não só de animais mas também de humanos) nascendo vegano, ou seja, gostando de verduras, legumes e frutas, e com extrema capacidade de amar, com garra e determinação, mudando tudo por onde passa… Uma forma didática e divertida de ensinar o amor universal a todos.
Estava plantada a semente. O primeiro episódio escrito, um ótimo enredo já sendo preparado para o segundo episódio, foi quando Lou esbarrou em um problema: Ela não tinha verba, não poderia bancar uma edição impressa e nem um estrondoso lançamento. E a ideia também envolvia preservar o meio ambiente, então utilizar papel para imprimir os livros também fugia de seu ideal.
Surgiu então a ideia de lançar em e-book. Isso resolveu a questão financeira e de logística. Lou formatou e disponibilizou o primeiro episódio em forma de conto. Organizou um lançamento virtual e pos-se a divulga-lo. Empolgada, decidiu que, já que não teria gastos com a impressão e divulgação do e-book, poderia doar toda a renda para cuidadores de animais abandonados e pessoas deficientes intelectuais. E foi o que fez.

 

Após este lançamento, que não vendeu muito pois as pessoas ainda estão se acostumando com os livros virtuais, Lou adaptou o primeiro episódio e partiu para o teatro. Novamente a pouca verba e a demora no fechamento de patrocínios fez com que a temporada teatral fosse encurtada. Lou ainda tentou uma campanha de crowdfunding para produzir episódios em animação 3D mas a verba também não veio desta vez.
Tudo colaborava para que o projeto fosse desativado mas Lou de Olivier, acostumada a enfrentar grandes desafios, arregaçou as mangas e fez SOZINHA quatro episódios de animação. Ela fez os enredos, a produção, a animação, as músicas, as vozes de todas as personagens e colocou em seu canal do Youtube. Os vídeos podem ser assistidos gratuitamente a qualquer momento.

solua-plantando

São quatro resumos cada um com uma boa mensagem sobre alimentação saudável, respeito à natureza e a todos os tipos de vida e sempre com uma música cantada pelo vampirinho. A música que mais chama a atenção diz “Eu sou humano, sou vegano e eu sou da paz. Não como carne, não bebo leite, não maltrato os animais.” Crianças e adultos costumam sair cantarolando esta melodia após assistirem aos episódios que Lou de Olivier leva à escolas e Encontros Veganos.
E toda esta batalha de Lou de Olivier tem gerado otimos frutos. Atualmente, além dos quatro resumos de episódios em animação 3D, há também camisetas do vampirinho vegano, três e-books sendo dois episódios em formato peça teatral intitulados “Plantando uma nova consciência” e “Ouvindo os animais” e o primeiro episódio também em formato conto. Estes episódios foram recentemente lançados para venda no site Amazon. Os vídeos tem sido repassados e republicados em diversos sites e blogs e já há, inclusive, algumas monografias e teses citando esta atuação socioambiental e animal de Lou de Olivier. E o mais interessante, há alguns meses, veiculou-se a notícia de uma tribo de índios que se tornou vegana, exatamente como o texto original de Lou de Olivier cita.
Agora pode-se dizer que o nobre propósito de mais este projeto de Lou de Olivier está se cumprindo. Algo que vai muito além de escrever sobre mais um vampiro, vai muito além de divulgar o veganismo, é a realização de uma mudança na consciência das pessoas. É a iniciativa de perceber os animais como seres que merecem o direito de viver e do ser humano que merece o direito de ter uma alimentação mais saudável e livre de crueldade. É a conscientização de cada um sobre o que está ingerindo e o que está fazendo para colaborar com a melhor qualidade de vida para todos. É a bandeira pela verdadeira paz entre todos os seres vivos. Porque a verdadeira paz só surgirá quando nenhuma vida for ceifada.

 

Da próxima vez que você quiser ler uma boa aventura protagonizada por vampiros, considere ler um dos episódios de Solua, o vampirinho vegano. Além de aprender veganismo com argumentos fundamentados em Medicina e Nutrição, saiba que com o simples ato de comprar um e-book, já colaborará para uma grande ação social. Nesta nova fase, toda a renda continuará sendo doada em beneficio de animais abandonados e pessoas com deficiência mas irá além da doação pois Lou de Olivier está em fase de levantamento de verba para a reconstrução do Teatro-Escola popular que sua família manteve nas décadas de 80 e inicio de 90. Então, ao adquirir um dos e-books, você estará colaborando com mais este projeto em benefício de todos.

Os e-books podem ser adquiridos diretamente, clique aqui

Outros e-books de Lou de Olivier, clique aqui

Anúncios
Categorias:Uncategorized
  1. Nenhum comentário ainda.
  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: