Arquivo

Archive for the ‘pioneirismo’ Category

A Multiterapia como fator de Autoconhecimento, Autoajuda e Atendimento clínico

20 de junho de 2017 Deixe um comentário

Lou de Olivier tem trazido, desde a década de 80, uma técnica que se renova a cada momento e que tem sido muito eficiente no tratamento de distúrbios de aprendizagem, de comportamento e nos casos leves de estresse e depressão. Mas a Multiterapia não é só eficiente nesses tratamentos. Ela é muito eficiente para o autoconhecimento, autoajuda e crescimento pessoal. É isso que abordaremos neste pequeno artigo.

(DINO) 09/05/2017

Este mergulho em si mesmo e, na sequência, em família, sociedade, meio ambiente, entre outros é dividido em módulos para que fique mais fácil assimilar e passar por todas as etapas de equilíbrio.

Na atualidade são muitas as técnicas utilizadas como terapia. Algumas eficientes, outras nem tanto, outras nada mais são do que técnicas antigas “renomeadas”… Em meio a tudo isso, Lou de Olivier tem trazido, desde a década de 80, uma técnica que se renova a cada momento e que tem sido muito eficiente no tratamento de distúrbios de aprendizagem, de comportamento e nos casos leves de estresse e depressão. Mas a Multiterapia não é só eficiente nesses tratamentos. Ela é muito eficiente para o autoconhecimento, autoajuda e crescimento pessoal. É isso que abordaremos neste pequeno artigo.

Além da grande confusão que se faz com os termos Multidisciplinar e Multiterapia, que já foi amplamente explicado em outros artigos (e que a síntese é: Multidisciplinar são vários profissionais reunidos para atender um único paciente. Multiterapia é um único profissional, extremamente habilitado e apto a tratar cada paciente como único), há nuances da Multiterapia que não são conhecidas pelo público.

Uma delas, talvez a principal, é o fator autoajuda e autoconhecimento que a Multiterapia proporciona a quem participa como paciente e/ou quem cursa como terapeuta ou mesmo como leigo, mas interessado em se aprofundar em si mesmo. Este é um fator importante, na medida em que equilibra o indivíduo de forma total e, na sequência, universal. Este é o grande sucesso do tratamento que faz com que o indivíduo se aprofunde em si mesmo para depois aprofundar-se nos fatores externos.

Este mergulho em si mesmo e, na sequência, em família, sociedade, meio ambiente, entre outros é dividido em módulos para que fique mais fácil assimilar e passar por todas as etapas de equilíbrio.

A Multiterapia parte do princípio que o Terapeuta, para atender pacientes (ou clientes), deve estar em perfeito equilíbrio. E que o paciente deve estar equilibrado para poder assimilar melhor qualquer tratamento.

Por isso, inicia-se a primeira etapa do tratamento (ou do curso) com o autoconhecimento e autorrealização do participante. Este treinamento básico ensina cada um a lidar melhor consigo mesmo(a), com a família, amigos e com a sociedade como um todo.

A segunda etapa aprofunda-se em alguns segredos do Universo, esclarece verdades e mitos e prepara o participante para a terceira etapa em que ele poderá optar pelo aprofundamento em atendimento clínico e/ou, se preferir, para uma etapa aprofundada de autoconhecimento e autorrealização. Também é possível cursar as duas especializações, se assim quiser.

Até o momento, Lou de Olivier tem ministrado alguns poucos treinamentos neste sentido e apenas para profissionais de terapia, porém pela grande procura de pessoas de diversas áreas, Lou adaptou este curso que agora pode ser cursado nas três etapas por qualquer pessoa para autoconhecimento e autorrealização, porém, para atender pacientes é necessário ter formação em Psicologia ou Psicopedagogia ou Fonoaudiologia ou Terapia Ocupacional/Fisioterapia ou áreas correlatas. Também é possível fazer o curso, estudantes (último ano) destas áreas citadas ou Terapeutas que tenham alguma pós-graduação em alguma dessas áreas ou em Psicanálise ou em Medicina Comportamental. Profissionais que não se encaixem nesta descrição e queiram atuar em Multiterapia, podem nos contatar enviando um breve currículo e descrição de seu interesse que analisaremos caso a caso.

O primeiro módulo terá início em primeiro de agosto de 2017 e acontecerá na sede Cipen Cursos, Rua Darzan 350 – Próximo ao metrô Santana – São Paulo – SP – Brasil
Mais informações, escreva para equipe@loudeolivier.com ou contato@cipencursos.com
ou via fone 55 (11) 2338-3673
Site oficial: http://multiterapia.med.br/

Quem é Lou de Olivier:
Elaborado por Lou de Olivier, experiente Multiterapeuta, Psicopedagoga, Psicoterapeuta, Especialista em Medicina Comportamental, Bacharel em Artes Cênicas e Artes Visuais. Detectora do Distúrbio da Dislexia Adquirida/ Acquired Dyslexia, Precursora da Multiterapia e Criadora do Método Terapia do Equilíbrio Total/Universal. É também Pioneira da TV brasileira, Dramaturga e Escritora (vários gêneros), autora de dez livros didáticos, dois contendo romances, uma trilogia, vinte e-books, mais de 700 poesias publicadas e tendo duas de suas dezoito peças teatrais (“Os Alienados”, comédia reflexiva adulta e “Cinderela que não era Bela porque era Branca demais”, comédia infantojuvenil) já encenadas em todo o Brasil e em Portugal.
Como Acadêmica, tem diversos artigos e dossiês de sua autoria, publicados, entre 1995 e 2013 em revistas especializadas como Psique Ciência e Vida, Sentidos, Mãe Moderna, entre outras no Brasil e UK Brazil na Inglaterra, além de jornais como Sunday News (New York). Em outubro de 2016, sua participação como oradora do Global Clinical Psychologists Annual Meeting, abordando Acquired Dyslexia e Multitherapy, reacendeu o interesse da comunidade científica internacional por suas publicações destacando-se Mental Health and Addiction Research que publicou seu artigo Multitherapy – therapy techniques developed by Lou de Olivier.
Lou de Olivier é pesquisadora de todos os temas ensinados neste curso Multiterapia do Equilíbrio Total/Universal, que reúne mais de trinta anos de seus estudos condensados em um curso dinâmico, sucinto e extremamente enriquecedor.

Anúncios

Perguntem aos gatos!

11 de junho de 2017 Deixe um comentário

Diante da polêmica que se instalou em relação aos gatos abandonados em parques públicos, não só estou me empenhando (junto ao DEPAVE e Secretaria)  em ajudar a solucionar como estou escrevendo alguns artigos no sentido de educar a população para eliminar o abandono de animais domésticos. Esta semana publiquei: Por que adotar um animal? (para ler, clique aqui) E estou divulgando meu artigo com bases em muitos anos de estudos comprovando que os gatos são os melhores companheiros para crianças autistas. (para ler, clique aqui). Também escrevi um resumo do que foi a região (onde hoje está um desses parques com gatos abandonados) desde a chegada de meus pais (fundadores da região) em 1951 e o que é hoje. (para ler, clique aqui).

Quanto a polêmica em si, de um lado pessoas reclamam do mau cheiro e sujeira que os gatos contribuem para causar, das doenças que podem transmitir e de afastarem animais silvestres que habitavam o local, de outro lado administradores e responsáveis preocupados, buscam diversas soluções sem, no entanto, conseguirem conciliar opiniões e ações. E de outro lado, protetores e simpatizantes se desesperam ao saber da possibilidade dos gatos serem encaminhados para tratamentos e adoção, alegam inclusive que alguns são ferais, por isso, seria impossível coloca-los em “gaiolas” ou “domestica-los”.

Porém como estudiosa da mente humana e animal, entendo que eles não são ferais, eles ESTÃO ferais justamente pelas condições de privação em que vivem. Lembrando que gatos costumam dormir muito, cerca de dezesseis horas por dia. Num parque, precisam estar em estado de alerta, tem seu sono interrompido. Esta pode ser uma das causas de alguns parecerem “ferais”. Outros fatores que contribuem para a agressividade de alguns deles podem ser  maus-tratos (cães que avançam neles, pessoas que jogam-lhes pedras, etc.), escassez de comida, de água, disputa por território, entre outros.  Penso que o termo ideal para classifica-los seja que “estão ferozes/agressivos”, já que feral se refere a fúnebre e, em linguagem popular, ao animal que originariamente era selvagem, foi domesticado e voltou à vida selvagem. Não é o caso dos gatos que foram domesticados há quase dez mil anos no Oriente Médio e atualmente são animais domésticos e adaptam-se ao ambiente de acordo com seus recursos.  E foram abandonados nos parques, por imposição humana e não por opção. 

É um círculo vicioso, já que permanecendo nos parques estão mais sujeitos a maus-tratos e privações, além de condenados a solidão. Pois famintos e descuidados, raramente recebem carinho, o mais comum é serem enxotados. E isso os torna mais agressivos. E, por fome, acabam perseguindo os pássaros que ou são devorados ou fogem assustados desencadeando também situação de estresse a eles (pássaros).

Estive no parque Nabuco (situado na região fundada por meus pais, na zona sul de São Paulo – SP – Brasil) e verifiquei que muitos dos gatos se aproximam miando muito e pedindo ajuda. Percebe-se em seus olhos e atitudes que não pedem apenas comida e água, eles pedem atenção, carinho, alívio de suas privações… Alguns, simplesmente param de miar e entregam-se ao carinho… Acariciei e me comuniquei com alguns deles, são dóceis, estão assustados e buscam proteção e atenção, cuidados que uma família poderia dar. Se, em meio a eles há alguns mais agressivos, são casos a resolver em separado, mas não se pode generalizar como se todos fossem feras que não merecem sequer a chance de tentar uma adoção.

As noites tem sido muito frias aqui em São Paulo – SP – Brasil, em média seis graus. Fico pensando nestes inúmeros gatos abandonados em diversos parques. Eles tem pelos, mas não são suficientes para conter este frio intenso. Como devem sofrer a noite, quando não há ninguém nos parques, só frio e escuridão…

Cada gato tem características próprias, mas de forma geral, eles se alimentam três vezes ao dia, alguns comem em pequenas quantidades diversas vezes ao dia. Isso quando estão cuidados por uma família. Nos parques, acabam se alimentando apenas uma vez ao dia, às vezes nem isso, dependendo das pessoas que levam comida/ração a eles. Tudo isso deve ser analisado antes das pessoas julgarem, ainda mais as que estão de longe,  julgando pelo que acham e não pelo que é na realidade. 

É preciso pensar no que é melhor para os gatos e para todos os animais que habitam o local. E que seja bom para a população que o frequenta, também, ou seja, é um assunto delicado que necessita muita reflexão para uma decisão acertada.

Mas para resolver de vez esta polêmica, tenho uma sugestão. Antes de decidir o que é melhor para eles, perguntem aos gatos. Se eles querem continuar nos parques, sujeitos a tantos contratempos ou se querem dormir numa caminha quentinha, bem alimentados e ao lado de uma família carinhosa e acolhedora…E isso não é uma piada. Eles se comunicam pelo olhar, pelos gestos e será fácil entender a preferência deles. Até porque, quem tem amor no coração, consegue se comunicar até com as árvores e vegetais… Ainda mais com os gatos que são seres tão comunicativos!

By Lou de Olivier

Lou de Olivier – Multiterapeuta, Psicopedagoga, Psicoterapeuta, Especialista em Medicina Comportamental, Bacharel em Artes Cênicas e Artes Visuais. Detectora do Distúrbio da Dislexia Adquirida/ Acquired Dyslexia, Precursora da Multiterapia e Criadora do Método Terapia do Equilíbrio Total/Universal. É também Pioneira da TV brasileira e da Música mundial. Dramaturga e Escritora (vários gêneros), autora de dez livros didáticos, dois contendo romances, uma trilogia, vinte e-books, mais de 700 poesias publicadas e tendo duas de suas dezoito peças teatrais já encenadas em todo o Brasil e em Portugal.

Lou de Olivier é vegana (defende TODOS os animais), ajuda a manter com recursos próprios 17 (dezessete) gatos acolhidos das ruas, diversos projetos de ajuda a humanos e animais. Há muitos anos estuda o comportamento dos gatos, desenvolveu a Terapia Integrativa Humanos e Animais e o Projeto dançando com animais.  Lou é Pacifista socio-ambiental/animal e segue a filantropia anônima e desvinculada de política ou religião implantada por seus pais há quase oitenta anos.

Conheça o Portal Lou de Olivier (Saúde, Educação, Artes, Pacifismo): http://www.loudeolivier.com

Solua, o vampirinho vegano liberado para montagens teatrais gratuitas.

24 de maio de 2017 4 comentários

Solua ensina, de forma lúdica, veganismo fundamentado em Medicina e Nutrição e mostra, de forma educativa e muito divertida, a necessidade de respeito à natureza e a todo tipo de vida, além da importância de uma boa e saudável alimentação. O vampirinho vegano trata a todos com carinho, respeito e muito amor.

É um pacifista que ensina o amor como arma para a melhoria de vida para todos e a conquista da verdadeira paz entre todos os seres!

 

Desde 2010 quando foi idealizado até hoje já são dois contos, duas peças teatrais, quatro desenhos animados, cartilhas, e-books, bloquinhos, camisetas, gincanas e até a mega-apresentação teatral que reuniu seis grupos teatrais e foi levada à mais de duas mil crianças em seis cidades brasileiras. Tudo isso (incluindo os brindes) tem sido oferecido gratuitamente em eventos presenciais. E está disponível para visualizações na Internet em diversos vídeos de elencos e também nos desenhos animados.

 

Agora, Lou de Olivier inova mais uma vez. Ela decidiu liberar o texto dos esquetes para que possam ser encenados em eventos e/ou escolas, desde que sejam respeitadas algumas regras. O texto deve ser ensaiado e apresentado na íntegra, sem cortes e sem acréscimos, as apresentações devem ser gratuitas e sem nenhum interesse comercial, apenas levar o veganismo a todos e a autoria de Lou de Olivier deve ser citada em toda a divulgação impressa e/ou digital (flyers, banners, etc.).

 

O texto está resumido de forma dinâmica para apenas dois atores, então é possível encená-lo em duplas. Em caso de grupos que tenham estrutura para ensaios e apresentações de todas as personagens, há possibilidade de montagem de uma das peças teatrais na íntegra. Interessados devem escrever para equipe@loudeolivier.com solicitando a senha para download do esquete e/ou informações sobre as peças teatrais na íntegra.

 

Os ensaios e apresentações que forem comunicados à equipe com antecedência (enviando fotos, vídeos, etc.), serão incluídos no site oficial e amplamente divulgados, sendo assim, uma ótima forma de promover as duplas, grupos e eventos participantes e o principal, levar o veganismo bem fundamentado e pacifista ao máximo possível de crianças (e adultos também).

 

Esta é mais uma iniciativa pioneira de Lou de Olivier, sem patrocínios, sem vínculo político ou religioso, apenas a intenção de melhorar o mundo para que todos vivam em paz. Conheça todo o projeto, todas as apresentações, vídeos de elencos, desenhos e muito mais no site oficial: http://soluavampirinhovegano.com.br/

 

Conheça também a loja virtual solidária, diversos e-books a preços populares e toda a renda doada aos animais abandonados e a projetos filantrópicos. Acesse: http://loudeolivier.com.br/

Feliz dia das mães, com música e inocência de criança!!!

11 de maio de 2017 2 comentários

Desde 2003, quando foi publicada minha poesia (escrita em 2001) “À todas as mães” eu a divulgo todos os anos nesta época. Mas hoje, resolvi divulgar uma homenagem diferente às mães. Uma música bem antiga, dos anos 60, na voz de uma criança de apenas dois anos e nove meses (eu, Ana Lourdes de Oliveira, hoje conhecida pelo pseudônimo Lou de Olivier). Uma valsinha que fala do mês das mães e eleva uma prece por todas as mães do mundo!

Assista este vídeo e ouça a valsinha “Mês de maio”, gravada no final de 1963 e lançada no início de 1964 em diversas emissoras de TV como Record e Excelsior.  (Lou de Olivier é pioneira da TV brasileira e da música mundial) Se gostar, compartilhe, envie este link a todas as mães que conhece. Estão todas homenageadas!

 

Vampirinho Vegano na mídia (apresentação Zona Norte)

10 de maio de 2017 Deixe um comentário

Publicamos esta nota de agradecimento aos 33 (trinta e três) veículos de comunicação que publicaram notas/releases sobre a apresentação de Lou de Olivier (vampirinho Vegano na zona norte de São Paulo – SP – Brasil, neste domingo, dia 07/05/2017.  Como não podemos citar todos os blogs, jornais eletrônicos e agências de notícias que publicaram, citamos aqui os links da Agência O Globo, clique aqui e The São Paulo Times, clique aqui. Agradecimentos também ao Jornal Rola no Brasil (What’s up in Brazil) que publicou nota, clique aqui e aos outros 31 (trinta e um) veículos que prestigiaram o evento, noticiando a apresentação.

Fotos e detalhes desta e de outras apresentações, palestras e eventos podem ser acessados no site oficial:  http://soluavampirinhovegano.com.br/

Agradecimentos também aos sites e blogs que noticiaram antes do evento ocorrer,cloaborando assim com nossa divulgação. São eles:

Noticias da Lou, clique aqui  e aqui

Olhar animal, clique aqui

Mimi Veg, clique aqui

Eventos Veganos Divulgação, clique aqui

Eventos Veganos Veggi&Tal, clique aqui (Obs: O link para este site está quebrado, aguardamos que retorne para indicá-lo aqui)

Você sabe o que é Multiterapia Legítima?

A Multiterapia começou a ser delineada por Lou de Olivier a partir de 1980, aprimorada até 2001 quando foi publicada oficialmente pela primeira vez, tendo repercussão tanto no Brasil quanto em Portugal e Inglaterra. Em 2002, Lou de Olivier foi premiada na Inglaterra como pesquisadora científica e a Técnica de Multiterapia ganhou mais credibilidade internacional. A partir de 2004, Lou de Olivier passou a apresentar (no Brasil) esta técnica em diversas emissoras de Rádio e TV e continuou publicando artigos em Revistas e Jornais impressos e eletrônicos. Em 2007, a Revista Psicologia Brasil publicou uma matéria completa intitulada “Terapeuta das Múltiplas Possibilidades” tendo a técnica de Multiterapia sido bem explicada neste artigo que foi às bancas em junho/2007 sob número 42, ano 5. E até hoje continua sendo exposta em simpósios/congressos e publicada em artigos nacionais e internacionais, como exemplos Revista Psique no Brasil que publicou a técnica em vários artigos e em dossiê e Mental Health and Addiction Research e Global Clinical Psychologists Annual Meeting em nível internacional.

 

Apesar de toda esta divulgação e importantes publicações, muitas pessoas desconhecem esta técnica e isso possibilita que pessoas despreparadas e sem nenhuma noção do que vem a ser Multiterapia, se apresentem como tal ou, pior ainda, abram firmas e sites intitulados como Multiterapia, quando na realidade, são Multidisciplinares ou, até mesmo, estéticas. Ultimamente já se encontram até “kits de multiterapia capilar” e sites vendendo equipamentos estéticos utilizando-se do termo “multiterapia”. Tudo isso faz com que o termo seja visto como algo até pejorativo porque mostra uma facilidade de aplicação a qualquer um que se intitule como tal.

 

Os motivos que levam essas pessoas à utilizarem-se de um termo terapêutico tão sério para se promoverem ou ganhar dinheiro, não vem ao caso. Cabe a nós, esclarecermos, mais uma vez, e quantas se fizerem necessário, a grande diferença entre Multidisciplinar e Multiterapia e levar ao leitor uma real ideia dos benefícios que esta técnica desenvolvida por Lou de Olivier no Brasil mas que já ganhou o mundo, pode oferecer.

 

Multidisciplinar”, é uma junção de profissionais unidos para um mesmo tratamento. Então fonoaudiólogo, psicólogo, psicopedagogo, fisioterapeuta e outros profissionais trabalham numa mesma clínica e podem atender simultaneamente um mesmo paciente. Este tipo de tratamento, para funcionar, depende de uma total integração entre os profissionais para aplicarem técnicas compatíveis e não divergentes e significa também muitas sessões para o paciente, já que cada profissional atende individualmente em suas sessões. A tentativa de juntar mais de dois profissionais numa mesma sessão seria improdutiva e inviável em todos os aspectos. Por isso, tratamento multidisciplinar implica muitas sessões com vários profissionais. Isso é Multidisciplinar.

 

Multiterapia é uma técnica que engloba diversas áreas e técnicas e justamente por isso é mais eficaz, rápida e completa que qualquer outra técnica terapêutica atual. Multiterapeuta é um único profissional extremamente habilitado em diversas áreas terapêuticas e apto a aplicar os diversos recursos da Multiterapia e adaptar cada tratamento a cada paciente de forma artesanal, única e englobada. Em casos muito graves, que exigem uso de medicação, o Multiterapeuta pode e deve trabalhar em conjunto com um Neurologista e/ou Psiquiatra, em alguns casos pode-se incluir tratamento com Fisioterapeuta ou Psicomotricista. Porém estes últimos só devem ser necessários em casos de acidentes ou limitações que comprometem movimentos físicos e necessitam de exercícios físicos de reabilitação.

 

São tantas as diferenças e os benefícios da Multiterapia em relação a outras técnicas que nem é possível especificar tudo num simples artigo. Parece-nos que a síntese deve ser o fato desta técnica ter sido desenvolvida para um autotratamento quando Lou de Olivier foi desenganada por nada menos do que vinte e cinco médicos dos mais renomados. Ela própria foi buscar estudos, pesquisas e respostas e desenvolveu a técnica que a ajudou a vencer as sequelas de uma anoxia por afogamento aos dezesseis anos e, mais tarde, as sequelas de um precoce AVC aos vinte e oito anos de idade. Logicamente, esta técnica tem sido melhorada de forma contínua e Lou hoje passa a ensinar aos profissionais que tenham interesse em atender pacientes usando esta técnica. Aliás, como muitas pessoas procuram conhecer mais a Multiterapia Legítima, Lou adaptou o curso para atender a todos os interessados.

 

Sendo assim, qualquer pessoa pode cursar as três etapas para autoconhecimento e auto-realização, porém, para atender pacientes é necessário ter formação em Psicologia ou Psicopedagogia ou Fonoaudiologia ou Terapia Ocupacional/Fisioterapia ou áreas correlatas.

 

Também é possível fazer o curso, estudantes (último ano) destas áreas citadas ou Terapeutas que tenham alguma pós-graduação em alguma dessas áreas ou em Psicanálise ou em Medicina Comportamental. Profissionais que não se encaixem nesta descrição e queiram atuar em Multiterapia, podem nos contatar enviando um breve currículo e descrição de seu interesse que iremos analisar caso a caso. Frisando que o terceiro módulo para atendimento clínico aprofunda-se em Distúrbios de Aprendizagem, de Comportamento, Familiares e muitos outros enquanto o terceiro módulo para autoconhecimento aprofunda-se em temas filosóficos, energéticos e psíquicos.

 

A próxima turma está agendada para iniciar-se no segundo semestre de 2017 e acontecerá em parceria com o Cipen Cursos em São paulo – SP – Brasil. Mais informações sobre horários, principais temas estudados, grade de aulas e outros detalhes, escreva para equipe@loudeolivier.com
ou contate o Cipen pelo fone 55 11 2338-3673

Saiba mais sobre Multiterapia neste vídeo-entrevista:

 

Acesse o site oficial: http://www.multiterapia.med.br

 

Lou de Olivier doa troféus e relíquias ao Museu PróTV

19 de abril de 2017 Deixe um comentário

Em seu altruísmo e sempre pensando no coletivo, Lou de Olivier doou ao Museu da TV (PróTV) um lote de seus troféus, fotos e revistas (reportagens) raras, além de um exemplar único de seu primeiro vinil gravado com apenas dois anos e nove meses. Tudo isso agora é acervo público do Museu Pró TV. Confira!

Lou de Olivier, em sua trajetória artística, cultural, terapêutica e filantrópica, acumulou mais de cinquenta troféus e diplomas de honra ao mérito, nacionais e quatro internacionais. Além de importantes citações em livros oficiais como: Enciclopédia de Literatura Brasileira – Volume I, Livro Brasil de todos os povos/São Paulo, sua Historia, seus monumentos – Destaques e Personalidades, Dicionário de Mulheres entre outros. Apesar de não divulgar, Lou também recebeu importantes títulos honorários por seus serviços sociais, ambientais e pela causa animal.

Em meio a todas essas premiações e honrarias, Lou de Olivier leva uma vida muito simples, investe o pouco orçamento que tem em benefício de todos, seja pesquisando e publicando inovações terapêuticas, seja auxiliando pessoas deficientes e animais abandonados, realizando palestras e eventos beneficentes. Embora o agradecimento nem sempre venha das pessoas beneficiadas, todos os troféus e diplomas de honra ao mérito demonstram seu valor à Sociedade. Justo por viver de forma simples, Lou não dispõe de um lugar específico para guardar troféus e relíquias e pensa ser melhor doar ao Museu, onde as peças, fotos e outros objetos de valor histórico inestimável estarão bem mais seguros e também poderão ser vistos pelos visitantes do Pró TV.

Foram doados, onze dos troféus, além de medalha, diversas fotos com pioneiros da TV como Durval de Souza, Neide Alexandre, Titio Molina, Canarinho, entre outros grandes nomes em revista como Paulo Autran, Francisco Cuoco, Helio Souto, a saudosa Vida Alves que foi fundadora do Museu Pró TV e, claro, Lou de Olivier que, na época, assinava seu verdadeiro nome “Ana Lourdes de Oliveira”. Sim, assinava! Quando lançou seu primeiro vinil, com apenas três anos de idade, já sabia escrever seu nome e autografou todos os discos vendidos.

Vale lembrar que este disco ficou marcado na história da música mundial e brasileira. Mundial porque Lou foi a primeira criança no mundo a gravar um vinil profissional com apenas dois anos e nove meses e lançá-lo ao completar três anos de idade. Naquela época, Rita Pavoni havia gravado aos cinco anos de idade e detinha o recorde mundial que foi batido por Lou de Olivier e até o momento não se tem notícia de nenhuma criança no mundo que tenha gravado um disco profissionalmente com idade inferior a dois anos e nove meses.

E, mesmo que em algum momento surja uma criança que consiga bater este recorde, este disco de Lou de Olivier detém outro recorde imbatível. Foi a primeira música censurada pela Ditadura Militar, que hoje sabemos que não foi apenas Militar, mas este é tema para outra notícia. Por ora nos basta citar que uma das faixas do compacto simples mostrava o samba-canção “Sonho de criança” de autoria de Irineu Gonzaga que, na voz doce e inocente da pequenina Ana Lourdes entoava a liberdade dos pássaros e das crianças. E que foi lançada em pleno “Golpe Militar”. Esta música, lançada e censurada em 1964 foi precursora de outras tantas “músicas de protesto” que vieram na sequência e colocaram artistas como ativistas em busca dos direitos e da liberdade de expressão. Na sequência, Lou gravou outro vinil (compacto com as músicas “Casca de banana”, uma marchinha de carnaval e “Saci-pererê”, estilo bossa nova) e uma trilha de novela, ambos não foram divulgados. Em outro artigo abordaremos estas passagens.

Poucos sabem, mas o pioneirismo de Lou de Olivier não parou por ai. Nos anos 80, de volta à TV, ela foi precursora das unhas pintadas uma de cada cor (que hoje ainda fazem sucesso entre as adolescentes e jovem descoladas), também foi precursora dos desfiles de moda com modelos gordinhas e baixinhas e hoje é comum encontrarmos as modelos plus size. Lou também foi precursora do registro profissional, conquistando o direito ao DRT para ela e todos da sua extinta faculdade de Artes Marcelo Tupinambá. Este registro só era concedido aos alunos da ECA/EAD (USP) e graças ao esforço e insistência de Lou de Olivier, passou a ser direito de todos os alunos de Artes Cênicas da Marcelo tupinambá e abriu brecha para outras faculdades e cursos particulares de Artes Cênicas reivindicarem DRT aos seus formandos. Como Acadêmica, Lou de Olivier também é pioneira em diversas teorias, sendo as mais destacadas, a Dislexia Adquirida por trauma e/ou ausência de oxigenação no cérebro e a criação do método de Multiterapia. Ambos os temas são reconhecidos internacionalmente graças as pesquisas pioneiras, desde a década de oitenta, publicações e palestras proferidas por Lou a partir da década de noventa até os dias de hoje.

São tantos os feitos pioneiros de Lou de Olivier que fica impossível citar a todos. Convidamos o leitor a assistir estes dois vídeos e, quem puder vir a São Paulo, visite o Museu PróTV onde encontrará (ao vivo) estas relíquias doadas por Lou de Olivier.

 

 

Lou de Olivier no Museu da TV (Museu PróTV),  a biografia de Lou de Olivier está em fase de atualização no Museu PróTV, mas você pode ler a biografia antiga (publicada em 2012) clique aqui

 

%d blogueiros gostam disto: